Um estudo com resultados preliminares, feito pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, diz que as vacinas contra a Covid-19 da Pfizer-BioNTech e da Moderna não oferecem riscos graves para grávidas.

 

A pesquisa analisou dados de 35.000 mulheres que foram imunizadas com uma das vacinas durante a gestação ou antes da gravidez, nas primeiras 11 semanas do programa de vacinação dos Estados Unidos. O estudo mostrou que essas mulheres tiveram os mesmos efeitos colaterais que as não grávidas, como dor no local da injeção, fadiga, dor de cabeça e muscular.

 

As grávidas, porém, apresentaram mais relatos de dor no local da injeção e menos os outros sintomas. Elas também eram um pouco mais predispostas a relatar náuseas ou vômitos após a segunda dose do imunizante.

 

Durante a pesquisa, 827 mulheres chegaram ao final da gravidez. Destas, 86% tiveram bebês que nasceram vivos. O estudo, mesmo com resultados positivos, ainda é limitado, já que as gestantes que participam fazem parte de um programa de vigilância voluntária, cujas informações são adquiridas por meio de relatos feitos pelas próprias vacinadas. Os pesquisadores relatam a necessidade de mais estudos sobre o assunto.

DEIXE UMA MENSAGEM

Seu endereço de email não será publicado.