Em entrevista ao jornal O Globo, a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) declarou que sua saída da liderança do governo no Congresso por parte do presidente Jair Bolsonaro, ocorrida nesta quinta-feira (17), foi uma “traição clara”. Entretanto, a congressista disse que não se surpreendeu com a decisão. “Eu sabia que cedo ou tarde eu seria traída, porque é o modus operandi [de Bolsonaro]”, afirmou.

Hasselmann foi retirada do posto de líder por ter apoiado a permanência de Delegado Waldir (PSL-GO) na liderança da bancada na Câmara dos Deputados ao invés da indicação do filho do presidente, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). A deputada criticou Bolsonaro por “interferir na escolha direta de um líder sendo este líder seu filho”, alegando que o presidente “interferiu no Poder Legislativo” utilizando a estrutura do Palácio e a força do cargo.

Para a deputada, ela não foi a primeira a ser traída por Bolsonaro dentro do PSL. “Todos que trabalharam muito, tiveram uma confiança dedicada ao próprio presidente em algum momento passaram por isso. Veja o caso de Gustavo Bebianno, depois o Santos Cruz, amigo de quarenta e tantos anos”, afirmou.

Bolsonaro atuou pela destituição de Delegado Waldir, para emplacar seu filho Eduardo Bolsonaro na liderança da bancada na Câmara depois que o deputado goiano, em áudio vazado para a imprensa, chamar Bolsonaro de “vagabundo” e afirmar que iria “implodir o presidente”.

DEIXE UMA MENSAGEM

Seu endereço de email não será publicado.