Na manhã desta segunda-feira (15), os secretários de Educação e Saúde, Walter Pinheiro e Fábio Vilas Boas, respectivamente, assinaram o termo de adesão ao programa Saúde na Escola, que destina recursos federais para as escolas públicas de qualquer esfera administrativa.
A medida leva em consideração o cumprimento de doze ações consideradas prioritárias: atualização vacinal dos estudantes; visita de profissionais de saúde nas escolas; alimentação saudável e prevenção à obesidade infantil; ações de combate ao mosquito Aedes; avaliação bucal e aplicação tópica de flúor; saúde ocular e identificação de possíveis sinais de alteração; avaliação da saúde auditiva é identificação de possíveis sinais de alteração; prevenção das violências e dos acidentes; identificação de sinais  de agravos de doenças em eliminação; prevenção ao uso do tabaco,  álcool e outras drogas; realização de práticas corporais, da atividade física e do lazer; promoção da cultura de paz, cidadania e direitos humanos e prevenção de DST/AIDS e orientação sobre direito sexual e reprodutivo.
“Não é o Governo que vai resolver o problema, é preciso que as gerações atuais incorporem esta missão”, frisou Fábio Vilas Boas. Até 25 de abril, 1.187 casos suspeitos de Zika, 4.982 suspeitos de chinkungunya e 5.379 casos suspeitos​ de dengue foram notificados.

DEIXE UMA MENSAGEM

Seu endereço de email não será publicado.