Comer na área externa de um restaurante, visitar um museu ou ir ao cinema: os franceses recuperaram nesta quarta-feira (19) parte da liberdade perdida, um alívio depois de mais de seis meses de duras medidas para conter a propagação da Covid-19 no país.

 

Com mais de 108 mil mortes, o país é um dos europeus mais afetados pelo coronavírus, mas a situação de saúde melhorou após meses de restrições e da aceleração da campanha de vacinação. Agora, 31% dos franceses já foram imunizados com até ao menos uma dose, e 14% já estão completamente vacinados.

 

Embora tenha feito um apelo para que os franceses permaneçam atentos diante das variantes do coronavírus, o porta-voz do governo, Gabriel Attal, mostrou-se otimista sobre o retorno a uma “vida cada vez mais normal”, com a retomada “progressiva e prudente” da atividade econômica.

 

Apesar da chuva e da temperatura abaixo da média para o mês de maio, cafés, bares e restaurantes voltaram a abrir suas áreas externas, com limitação de seis pessoas por mesa e capacidade reduzida a 50%. Um dos primeiros a aproveitar a oportunidade foi o presidente Emmanuel Macron, que tomou um café com o primeiro-ministro Jean Castex em um estabelecimento próximo ao Palácio do Eliseu.

 

No Twitter, o líder francês convocou a população a “redescobrir as coisas que constituem a arte de viver”. Os franceses passam mais tempo comendo ou bebendo do que os cidadãos de qualquer outro país desenvolvido, segundo a OCDE, o clube dos países ricos, e comer fora é visto como parte do tecido social.

DEIXE UMA MENSAGEM

Seu endereço de email não será publicado.