Senadores governistas que fazem parte da CPI da Covid-19 estão preparando requerimentos para apertar o calo do ex-aliado e ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Segundo informações da Veja, o médico será colocado contra a parede e terá que explicar, por menor, contratos e licitações celebrados nos cerca de 15 meses da sua gestão.

 

Publicamente, Mandetta disse que o chefe do Executivo sabia de todos os riscos da crise sanitária, mas que optou por não tomar decisões para tentar minimizar os impactos dela. Agora, os senadores querem mostrar que o ex-ministro também tem culpa no cartório para minar com qualquer possibilidade dele nas eleições de 2022.

 

Ainda segundo o jornal, auxiliares do presidente Bolsonaro sempre suspeitaram dos dois aliados do médico, os ex-deputados Abelardo Lupion e José Carlos Aleluia. Eles querem construir provas por meio de quebra de sigilos fiscais, bancários e telefônicos. “Que a CPI sirva para preparar o país para enfrentamentos futuros”, disse Mandetta, nega-se a comentar as ofensivas.

DEIXE UMA MENSAGEM

Seu endereço de email não será publicado.