O Grupo Têm Dendê, a Diretoria de Audiovisual (Dimas) e a Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb) iniciaram o I Ciclo de Encontros do Audiovisual na terça-feira (17), homenageando a cineasta, jornalista e produtora cultural Fabíola Aquino.

Com vinte anos de carreira no audiovisual, Fabíola é um nome reconhecido no mercado baiano e levou para o público três obras que contaram com a sua produção ou direção. Com narrativas, linguagens e formatos distintos, as três produções da Obá Cacauê Produções, Balizando – 2 de Julho, Sonhadores e Samba Junino – De porta em porta, estimularam o público a pensar e repensar questões como preservação cultural, juventude e gênero. “É bacana a gente ver uma sala cheia para assistir os nossos trabalhos e isso, sem sombra de dúvidas causa um impacto positivo na gente e eu agradeço a mobilização de formação de platéia”, pontua.

Fabíola celebrou também a oportunidade de exibir as obras em tela grande e agradeceu a oportunidade de ter tido Pola Ribeiro como debatedor da sua exibição. “Eu admiro muito Pola Ribeiro por toda sua trajetória e tenho um apreço pessoal a ele pela fundamental importância no inicio da minha carreira. Ouvi-lo falar das minhas produções mais recentes e pontuar suas qualidades foi um momento ímpar e que sou muito grata. Agradeço também a possibilidade de exibir as obras em tela grande que é o fetiche de todo produtor, de todo realizador audiovisual. É delicioso ver as imagens que foram concebidas para o nosso documentário criar aquele impacto tão bonito, tão positivo que é a tela grande”, finaliza.

Além de Fabíola Aquino, homenageada e exibidora, o primeiro encontro do Ciclo contou com a presença do diretor Pola Ribeiro, que colaborou com o debate e estimulou a platéia. À homenageada, o diretor falou de sua experiência e inspiração para produção, além de trocar uma boa conversa sobre a produção audiovisual baiana atual. “Esse primeiro ciclo foi, além de um debate sobre a produção baiana, um encontro de gerações, com essa platéia majoritariamente jovem e homenageando Fabíola, profissional jovem, que eu vi crescer dentro desse mercado e que hoje é uma expoente e apresenta três obras excepcionais”, destacou o diretor.

O Ciclo será realizado em Salvador até o mês de dezembro, e a cada encontro, terá a participação de dois realizadores debatendo e interagindo com a platéia. Enquanto um será o exibidor, o outro vai provocar a discussão sobre as narrativas, processos de construção e criação, inspiração e perspectivas das obras e do mercado como um todo.

O segundo encontro do Ciclo está marcado para o dia 10 de outubro, no Cine Teatro Eva Hertz e terá Adriano Big como realizador homenageado e exibidor e Gabriel Amaral como debatedor.

Sobre o autor

Matérias relacionadas

DEIXE UMA MENSAGEM

Seu endereço de email não será publicado.