O Ministério da Saúde neste sábado anunciou que prevê a produção de 100 milhões de vacinas contra a Covid-19 em parceria com a empresa farmacêutica britânica AstraZeneca e com a Universidade Oxford, no Reino Unidos. A previsão é que, em um primeiro momento, 30,4 milhões de doses sejam entregues em dois lotes de insumos, além da transferência de tecnologia que acontecem em dezembro de 2020 e outro em janeiro de 2021.

A vacina ainda não tem a eficácia comprovada, mas, de acordo com a pasta, caso seja a substância mostre resultados positivos contra à doença, o Brasil deverá vai produzir mais 70 milhões de doses.

Os custos da fase inicial, ainda de acordo com a pasta, são de U$ 127 milhões (cerca de R$ 695 milhões). Nesta conta está incluídos os custos de transferência da tecnologia e do processo produtivo para Fiocruz, estimados em U$ 30 milhões (cerca de R$ 164 milhões).

DEIXE UMA MENSAGEM

Seu endereço de email não será publicado.