O presidente do Bahia, Guilherme Bellintani, criticou a atuação do árbitro paraese Dewson Fernando Freitas na partida do último sábado (21), no jogo contra o Corinthians, em São Paulo. O tricolor baiano perdeu por 2 a 1, em meio a polêmicas envolvendo um pênalti não marcado a favor do Esquadrão. O dirigente prometeu acionar o árbitro junto à CBF.

“A arbitragem estava na bronca com a gente e entrou determinada para que o Bahia não ganhasse o jogo. Hoje estamos entrando com representação contra o árbitro mais uma vez. Para mim está muito claro que teve uma má fé mesmo, uma vontade de prejudicar o clube”, disse Bellintani, em entrevista à rádio A Tarde FM.

“Faço parte da comissão nacional de clubes, então participo do dia-a-dia na CBF, acho que isso é muito importante para o clube, mas na hora da criticar tem que fazer também. A arbitragem brasileira está uma vergonha. Mesmo com o VAR, do qual sou favorável, as loucuras continuam. No sábado o VAR até alertou que houve o pênalti, mas o juiz assim não entendeu”, acrescentou.

Quem também reclamou do árbitro foi o técnico do Bahia, Roger Machado. Segundo o treinador, a atuação “vergonhosa” do responsável pelo apito se destacou.

“Foi o dia em que senti vergonha alheia. Significa que senti vergonha pelo árbitro que estava em campo, pela forma como estava conduzindo um jogo com um pênalti não dado, que poderia nos dar vantagem, depois um pênalti marcado corretamente a favor do Corinthians e, depois quatro minutos para revisar um lance, que gerou nossa penalidade. Permitiu que o atleta do nosso adversário, depois de atendido, entrasse do mesmo lado da bola, que estávamos atacando. O atleta roubou a bola; depois, na jogada, tomamos dois cartões. Quatro minutos para revisar o VAR, seis substituições na partida e cinco minutos de acréscimo. Isso só prova a fragilidade técnica do árbitro”, declarou Roger após o jogo.

DEIXE UMA MENSAGEM

Seu endereço de email não será publicado.