O Senado aprovou nesta quinta-feira (4), no segundo turno, o texto base da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) Emergencial, que possibilita o pagamento de outras parcelas do auxílio-emegencial, além de apresentar contrapropostas para o equilíbrio fiscal.

 

Ainda será analisado pelos senadores uma emenda que propõe a derrubada do teto de R$ 44 bilhões como condição para o auxílio-emergencial, necessário para ajudar os mais necessitados, impactados pela pandemia de Covid-19. O texto é de autoria de Paulo Rocha (PT-PA).

 

A PEC ainda não define valor ou quantidade de parcelas que serão pagas, o que deve ser apresentado ainda pelo Palácio do Planalto ao Congresso. A equipe econômica do governo bolsonaro já manifestou a intenção de estabelecer o pagamento de R$ 250 por mais quatro meses.

 

Após a aprovação por 64 votos favoráveis e 14 contrários, o texto segue para a Câmara, onde precisa passar por dois turnos de votação. No total, é necessária a adesão de 49 senadores e 308 deputados.

DEIXE UMA MENSAGEM

Seu endereço de email não será publicado.