Três acionistas da Seguradora Líder, responsável por gerir o seguro DPVAT, o seguro obrigatório para indenizar vítimas de acidentes de trânsito, anunciaram nesta sexta-feira (25) que deixarão o consórcio no fim do ano.

Juntas, Porto Seguro Vida e Previdência, Azul Companhia de Seguros Gerais e Itaú Seguros de Auto e Residência detinham, ao fim de 2019, 11% das ações do consórcio, que é formado por 56 seguradoras. A Porto Seguro é a segunda maior acionista, atrás apenas da Caixa Econômica Federal.

As companhias não informaram os motivos da decisão, que ocorre pouco mais de um mês depois que o Ministério Público Federal pediu bloqueio de R$ 4,4 bilhões da empresa, a quem acusa de de leniência com fraudes na obtenção de seguros e maquiagem nas projeções de sinistros.

Em comunicado ao mercado, a Porto Seguro informa apenas o desligamento em conjunto das três empresas no dia 31 de dezembro de 2020. Procuradas, Porto Seguro e Itaú ainda não responderam ao pedido de informações. A Azul não foi encontrada.

DEIXE UMA MENSAGEM

Seu endereço de email não será publicado.