O perfil de Twitter Anonymous Brazil publicou nesta segunda-feira (17), dados pessoais da ativista bolsonarista, Sara Winter,  com o título “Exposed – Sara Winter”.  Os dados incluem endereços, telefones e dados bancários. Sara, que está em prisão domiciliar, recebe auxílio emergencial do Governo Federal desde julho.

Entre os dados revelados também chama a atenção uma ficha na qual a ativista, que chegou a fazer uma tatuagem de símbolo nazi (depois a disfarçou transformando-a numa flor), declara sua raça como “parda”, e sua étnica como “indígena”.

O grupo hacker justificou o ato como retaliação após Sara divulgar o nome e hospital onde estava a menina de 10 anos grávida, que foi estuprada pelo tio. No final de semana ela faria o aborto da gestação, no entanto, a ativista convocou grupos fundamentalistas religiosos para tentar impedir o aborto,  que estava amparado pela lei, com tentativa de invasão do hospital e gritos chamando a menor de “assassina”.

“Como muitos já sabem, a Bolsonarista Sara “Winter”, vem demonstrando sua falta de carater e ataca novamente. Desta vez ela vazou os dados de uma criança de 10 anos que foi vítima de estupro pelo seu próprio tio, o que resultou em uma gravidez, e com um ato extremista de “””pró-vida””” hipócrita dela, vazou o endereço do hospital onde ia ser feito o procedimento de aborto, reunindo vários “religiosos” ameaçando o médico responsável e a menina chamando eles de assassinos, então venho aqui dar a vocês os dados reais de uma assassina moral”, disse o Anonymous em um post.

DEIXE UMA MENSAGEM

Seu endereço de email não será publicado.