O Nordeste foi a região que mais sofreu com os cortes de bolsas para pós-graduação realizadas pelo governo de Jair Bolsonaro. Os cursos áreas de engenharia, medicina e educação foram os mais afetados são das.

Sob o comando de Abraham Weintraub, o Ministério da Educação passou a bloquear o orçamento no ensino desde o ano passado, o que reduziu os investimentos nas instituições.

De acordo com informações da Folha de São Paulo, foram canceladas mais de 7,5 mil bolsas que financiariam pesquisas de pós-graduandos. Ao todo, 84,6 mil estudantes foram atendidos com o financiamento. Outras 476 bolsas integram acordos e editais específicos, em geral por temas e abertos a várias instituições.

As bolsas são financiadas pelo Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), órgão vinculado ao MEC.

DEIXE UMA MENSAGEM

Seu endereço de email não será publicado.